* Bom Sinal

por Alexandre Aranha | www.poppycorn.com.br – RJ
“O primeiro projeto do guitarrista e violonista Manoca Barreto já se mostra um trabalho amadurecido pela estrada percorrida até sua realização. Contemporâneo em essência, Bom Sinal é um álbum gostoso de se ouvir, que reúne em suas faixas todas as fases musicais do instrumentista. Para quem não conhecia, Manoca é potiguar, da capital Natal, tem 41 anos, estudou música na Uni-Rio, integrou as bandas Fluidos, Be Pop, Quartetoque e os trios All-Mustafa e Manoca Barreto. Concluiu mestrado em música, pela Unicamp, em 2002 e é professor de guitarra elétrica e harmonia funcional na Escola de Música da UFRN.Percorrendo o trabalho, encontramos, talvez, uma certa influência de Eric Johnson (mais coll, é bem verdade), “scats” à la Clube da Esquina e “acordes” Daniel Goulart.

O “estilo Johnson” pode ser percebido, especialmente, em Da noite pro dia. Brincando no quintal bem poderia ter Lô Borges, Beto Guedes e Flávio Venturini no vocal. Bom sinal (homônima ao título do álbum) traz um baião com a irregularidade melódica do jazz. Sambança é um samba-bop – embora o estilo de Manoca esteja mais próximo a fusion.

O instrumentista também não se incomoda em coadjuvar nas faixas que contêm sopros, como Bom sinal e Imagem, por exemplo. Há dois meses de distância é a faixa cujos acordes e a insistência na manutenção da 1ª corda solta lembram Daniel Goulart, além da bela levada flamenca que não pode ser esquecida. Destaco, por fim, Serra do Martins e Minha Terra como as mais sensíveis de todo o álbum.

Bom Sinal é um trabalho essencialmente instrumental, embora Manoca (que assina todas as faixas) tenha fortes elementos do jazz. Sem dúvida, as mais jazzísticas são Da noite pro dia, Mudando o rumo e Sambança.Difícil não falar bem de um trabalho construído com tamanha sensibilidade, cuidado e dificuldades. Como o artista mesmo lembra: teve que “cultivar a paciência” para “trilhar os vários caminhos de uma vida musical tardia, enfrentando dificuldades e desafios surgidos”. Ele bem sabe como é árdua a jornada da música instrumental no Brasil. Infelizmente, tão árdua, a ponto de nos considerarmos felizardos em poder ouvir trabalhos de nível tão bom e tiragens tão pequenas. Bom Sinal está neste meio.”

Manoca Barreto no Orkut